MENU      
BUSCAR

Pecuária do Futuro é tema de lives da Embrapa no YouTube

Transmissões têm início nesta quinta-feira com o tema Campos Naturais

A Embrapa Pecuária Sul (Bagé, RS) dá início, nesta quinta-feira (06/08), a uma série de lives que vai abordar a contribuição de suas linhas de pesquisa para a pecuária do futuro. A iniciativa é realizada em alusão aos 45 anos da Unidade, completos em 2020. A primeira transmissão, feita em parceria com o Ibama e UFRGS, vai abordar o papel dos campos naturais para a pecuária do futuro. O evento virtual acontece a partir das 19h, no canal da Embrapa no YouTube

Com moderação de Marcos Borba, pesquisador da Embrapa Pecuária Sul, a primeira live terá como palestrantes José Pedro Trindade, também pesquisador da Embrapa Pecuária Sul, Rodrigo Dutra da Silva, coordenador-geral de Biodiversidade do Ibama  e Carlos Narbinger, professor da UFRGS. Finalizando, José Otávio Gonçalves, pesquisador aposentado da Embrapa Pecuária Sul, discorrerá sobre o histórico dessa linha de pesquisa, de forma a ilustrar os 45 anos da Unidade. 

Conforme José Pedro Trindade, sua abordagem se dará a partir da ideia de que o papel dos campos naturais na pecuária do futuro está na associação da conservação de recursos naturais com a intensificação sustentável da produção. “As pastagens naturais ou os campos nativos têm um papel central para o desenho de sistemas produtivos mais sustentáveis por agregarem um conjunto de funções ecossistêmicas que vão além da produção de forragem. São estas funções que, consideradas nas diferentes escalas de gestão, irão agregar ou caracterizar sistemas produtivos mais sustentáveis”, destacou.

Rodrigo Dutra da Silva, do Ibama, vai abordar a pecuária do futuro a partir de diversos temas, como a sustentabilidade da atividade sob a ótica da legislação brasileira; os campos nativos como remanescentes do bioma Pampa e experiências de recuperação ambiental de campos no Pampa em parceria com Embrapa, UFRGS, Unipampa e Exército Brasileiro, além da apresentação do Guia de reconhecimento de espécies dos campos sulinos como ferramenta de conhecimento e valorização dos campos. 

Já  Carlos Narbinger abordará a pecuária do futuro a partir dos campos entendidos como um ecossistema e a razão de ser a principal cobertura vegetal na região, a riqueza em biodiversidade e os serviços ecossistêmicos prestados e as principais práticas que permitem sua utilização conservando os serviços ambientais e melhorando o desempenho econômico.

Guia de reconhecimento de espécies dos campos sulinos 
Durante a live, será apresentado, ao público, o Guia para Reconhecimento de Espécies dos Campos Sulinos, lançado em formato digital pelo Ibama e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Com o objetivo de auxiliar na identificação das principais gramíneas e leguminosas presentes no bioma, a obra apresenta informações sobre 80 espécies nativas e 4 exóticas invasoras, com fotos e ilustrações. Assinada pelos professores de agronomia da UFRGS Carlos Nabinger e Miguel Dall’Agnol, a publicação é destinada a analistas ambientais, técnicos, extensionistas, pesquisadores, acadêmicos e produtores rurais que manejam campos nativos no sul do país.

 

FONTE: EMBRAPA

Endereço: SBS Qd 2 Bl A Ed Casa de São Paulo Sala 1106 Brasília-DF CEP 70.078-900 Redação: (61) 3039 1050 Comercial: (61) 3039 1258