MENU      
BUSCAR

Produtores rurais se unem e montam primeiro empório rural colaborativo do DF

Em tempos de crise sanitária, a criatividade é fundamental para conseguir mais clientes, visibilidade e, consequentemente, mais renda. A produtora rural Flávia Fonseca Rodrigues, que possui uma agroindústria de sorvetes artesanais, teve que fechar a loja em março, por causa da pandemia. Com a permissão de reabrir, ela se juntou a outros 16 produtores e montou o Empório Rural Bomdmais — a primeira loja colaborativa exclusivamente de produtos rurais do Distrito Federal. O empreendimento, aos poucos, está conquistando clientela e faz entregas em todo o DF.

 
Geleias, pimentas, licor, café, ovos, hortifrúti, carnes de pato e de coelho, galinha caipira, mel, linguiças, cachaça, rapadura, banha, leite de cabra, queijo, pão de queijo feito de leite caprino e até sabonetes artesanais — tudo produzido na zona rural do DF pode ser encontrado na loja. Os produtores entregam diretamente na loja, que revende ao cliente sem ônus. “Todos saem ganhando”, observa Flávia.

 
A produtora, que é atendida pelo escritório da Emater-DF no Paranoá, conta que recebeu dicas e orientações da extensionista Maria do Carmo. “A Emater sempre nos ajuda, desde a produção até a comercialização”, afirma Flávia.


O criador de cabras Alsimar Luiz Bíscaro também só enxerga vantagens no modelo de comércio colaborativo. “Se eu tivesse que pagar um entregador para trabalhar com delivery, meu custo seria bem maior. Aqui, a Flávia não obtém lucro em cima do meu produto. Essa é a ideia de colaboração”, observa Alsimar, conhecido como “Gaúcho”, estabelecido no núcleo rural Quebrada dos Neres (RA Paranoá).


Norma Sueli Siqueira, que possui uma agroindústria de hortaliças e frutas orgânicas desidratadas no núcleo rural Sobradinho dos Melos, acredita que, no meio de uma crise sanitária, a iniciativa fortalece os produtores. “Um ajuda o outro, ninguém perde”, conclui.


O empório já possui uma conta no Instagram e, em breve, terá também um Facebook. “Nas redes sociais, eu posto fotos dos produtos de todos os parceiros, o que é mais um canal para dar visibilidade ao trabalho”, aponta Flávia. Mesmo com o atendimento restrito devido à pandemia do coronavírus, a produtora promove degustação das iguarias. “Observamos todas as orientações da Secretaria de Saúde, como higienizar frequentemente mãos e produtos com álcool em gel e evitar a proximidade de pessoas”, garante.

 
Para o gerente de Comercialização da Emater-DF, Blaiton Carvalho, as lojas colaborativas são uma das principais tendências dos circuitos curtos de comercialização. “São pontos que aproximam o produtor do consumidor, sem atravessadores, o que diminui os custos de produção e criam afinidade entre quem vende e quem compra”, avalia. Blaiton acrescentou ainda que a empresa está disponível para quem quer conhecer melhor o modelo. “Ajudamos com dicas, orientações e qualificações”, concluiu.


Põe na Cesta

Essa iniciativa de comercialização se junta a outras ações desencadeadas pela Emater-DF para ajudar os produtores rurais atendidos pela empresa a venderem seu produtores por outros canais. Durante a AgroBrasília Digital 2020, que ocorreu entre os dias 6 e 10 de julho, A Emater-DF lançou a plataforma de comercialização Põe na Cesta, que aproxima produtores me consumidores (pessoas físicas e jurídicas), facilitando o escoamento de produtos e garantindo que os compradores recebam produtos frescos e saudáveis.

 
“O Põe na Cesta é uma ferramenta simples, fácil de os produtores se cadastrarem, manterem seus dados atualizados e também fácil de os consumidores encontrarem o que precisam. Aproxima quem quer comprar de quem quer vender, inclusive estimulando negócio entre produtores. Além disso a Emater-DF fará algumas ações para divulgação da plataforma entre produtores e comerciantes”, explica o coordenador do programa Empreender e Inovar da Emater-DF, Frederico Neves.

 
Para usar a plataforma, não é necessário instalar nenhum programa no computador, tablet ou celular. Não é necessário baixar o aplicativo em nenhuma loja de aplicativos. É só acessar através do navegador do dispositivo o endereço dfrural.emater.df.gov.br/poenacesta.


“Em um momento em que todas as cadeias produtivas sofrem com a pandemia, a Emater buscou alternativas para ajudar o produtor rural a continuar produzindo e vendendo seus produtos. E fizemos isso em um tempo recorde de poucas semanas, graças ao capital intelectual de que dispomos na Emater e do comprometimento de nossos extensionistas”, afirmou a presidente da Emater, Denise Fonseca. “O uso intensivo da tecnologia no campo é uma realidade que veio para ficar. E nós vamos estar ao lado do produtor para que ele faça uso dela em seu favor.”
 

Fonte: Emater-DF

image01
Endereço: SBS Qd 2 Bl A Ed Casa de São Paulo Sala 1106 Brasília-DF CEP 70.078-900 Redação: (61) 3039 1050 Comercial: (61) 3039 1258